terça-feira, 7 de dezembro de 2010

"Maçarico-de-perna-amarela", "Lesser Yellowlegs"(Tringa flavipes)

Maçarico-de-perna-amarelaEssa espécie é muito bonita e fiquei feliz em fotografá-la pela terceira vez em lugares diferentes.
A primeira vez foi no Ribeirão Claro na divisa do antigo sítio Pascon, lugar onde faço um trabalho há alguns anos. Eu fotografei um jovem pela primeira vez e após uns meses fotografei um casal(fotos) em Águas de São Pedro, onde consegui me aproximar mais, pois da primeira vez o jovem estava bem distante. Registrei também mais um casal na Floresta Estadual Navarro de Andrade no mesmo rio, o Ribeirão Claro, há uns 2 km de distancia da primeira vez, que possivelmente podem até ter algum tipo de ligação ou parentesco, não necessariamente.
Maçarico-de-perna-amarelaEssa espécie tem aproximadamente 25 cm de altura, com a parte superior cinzenta, toda pintalgada, o ventre e cauda branca, peito claro com riscos cinzas e as pernas compridas e amarelas, por isso o nome popular.
Alimenta-se de minúsculos seres aquáticos, marinhos ou em água doce como o da foto que mergulha a cabeça toda em busca de alimento.
Maçarico-de-perna-amarelaEssa ave é territorialista, vivendo em casais ou até bandos quando em amplo espaço e abundância de alimento.
No período reprodutivo, a fêmea põe em média 4 ovos castanhos-amarelados, manchados, são postos sobre folhas de ninféias e o macho choca e cuida dos filhotes. Quando há alguma ameaça ao ninho, ele se afasta e fica se debatendo, como se não pudesse voar e fingindo estar com a perna quebrada, atraindo a atenção do predador para longe do ninho.

Maçarico-de-perna-amarelaOs filhotes são nidífugos, saindo para caminhar sobre as folhas aquáticas logo após o nascimento, já pernilongos e com capacidade de mergulhar e se alimentar sozinho.
Vive em regiões úmidas tanto do interior como do litoral, em praias lamacentas e abertas de lagos e rios. Suas presas são localizadas visualmente ou acusticamente, sendo apanhadas em águas rasas ou na lama. Pode transferir plantas de um continente ao outro por intermédio, de sementes vivas nas suas dejeções. Regurgita pelotas, que contêm a quitina do exoesqueleto dos artrópodes ingeridos. Vive em todo território nacional.

Fonte de Pequisa: Aves do litoral, wikiaves.

Fotografados em 12/10/2010 - Águas de São Pedro

ÁUDIO: Fernando araújo