sexta-feira, 25 de setembro de 2009

"Chopim-do-brejo","Yellow-rumped Marshbird"(Pseudoleistes guirahuro)

chopim-do-brejo Com seu canto melodioso, vive nos brejos e campos com capim alto em bandos, sempre cantando mesmo em vôos. Alimentan-se de grãos e sementes que encontram nos brejos. O chopim-do-brejo tem a barriga e as parte das asas amarelas, o bico preto e pontudo.
Faz ninho tipo tigela, com o fundo de barro onde põe dois a três ovos. Presente no Brasil central e meridional. Tem cerca de 24cm e 70g.
.chopim-do-brejo Eu fiz essas fotos perto da lagoa dos "Camargo" em Rio Claro em 13/09/2009. Estavam bem distantes e logo perceberam a minha chegada e saíram voando e cantando...

É também conhecido por pássaro-preto-do-brejo, dragão-do-brejo, melro-amarelo, melro d’angola, melro mineiro, melro-pintado-do-brejo ou mesmo pássaro-preto-soldado.
chopim-do-brejo


chopim-do-brejo





quinta-feira, 24 de setembro de 2009

"Gibão-de-couro" "Cliff Flycatcher" (Hirundinea ferruginea)

gibão-de-couro
gibão-de-couro Numa tarde de sábado, eu estava indo ao mercado comprar algumas coisinhas para comer, quando resolvi levar a câmera na intensão de encontrar um "gavião-peneira" que estava sobrevoando os campos nos arredores do mercado, fiquei um tempo esperando, mas naquele dia ele não apareceu, ou melhor, ele nunca aparece quando estou com a câmera. Por outro lado, encontrei esse belo pássaro e confesso que nunca tinha visto um ou ouvido falar. Fiquei uns 30 minutos observando o casal e percebi que eles tinham um comportamento muito parecido com os "siriris", as capturas de insetos em vôo, os pousos nos mesmos lugares, até mesmo a morfologia externa. Na foto abaixo onde ele pousa no chão, foi porque o inseto era grande e o pássaro precisou matá-lo em terra firme. Foi bom para poder observá-lo de cima, pois algumas cores não apareciam de outra forma. a foto em vôo não ficou muito boa, mas percebe-se também a coloração mais avermelhada nas asas, parecendo couro mesmo. Foi muito bom ficar esses minutinhos com eles, perdi até a fome. Gavião, fica pra próxima, pois o Gibão-de-couro veio primeiro!gibão-de-couro
gibão-de-couro

gibão-de-couro
Fonte de pesquisa: WikiAves

Gibão-de-couro
Também conhecido como birro e joão-pires, o gibão-de-couro(Hirundinea ferruginea) é uma ave passeriforme da família Tyrannidae.
Esta espécie apresenta uma estreita associação com escarpas e paredões rochosos. Pode também ser encontrada dentro de cidades, pousada nos parapeitos no alto de prédios, mourões de cerca e nas antenas de televisão.
Características
Como seu próprio nome científico diz, em seu corpo predomina a cor ferrugem com tons variando para cinza escuro, as asas e a ponta da cauda são cinza escuras com detalhes em ferrugem, o peito é mais avermelhado que o dorso e a cabeça.
Alimentação
Caça insetos no ar por meio de manobras rápidas e acrobáticas.
Reprodução
Constrói o seu ninho em beiradas de janelas e em outros locais abrigados da chuva e do vento. O ninho é aberto em forma de tigela e inicialmente é forrado com pequenas pedras, depois gravetos e no final é forrado com fibras vegetais macias. Põe de 2 a 3 ovos brancos com manchas ferrugem.

video

Sequência de fotos (Detalhes do Vôo)

video


Fotografados em 12 de Setembro de 2009, Rio Claro -SP.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

AVES DO BRASIL - CBRO

Aves do Brasil
Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de outubro de 2008 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico)

Anseriformes

Ordem Anseriformes Linnaeus, 1758 - Marrecos, patos, tachãs e afins
-Família Anatidae Leach, 1820 - Marrecos, patos e cisnes
--SubFamília Anatinae Leach, 1820 - Patos
--SubFamília Anserinae Vigors, 1825 - Gansos e cisnes
--SubFamília Dendrocygninae Reichenbach, 1850 - Asa-branca e afins
-Família Anhimidae Stejneger, 1885 - Anhumas e tachãs

Apodiformes

Ordem Apodiformes Peters, 1940 - Andorinhas e colibris
-Família Apodidae Olphe-Galliard, 1887 - Andorinhões, taperuçus e afins
-Família Trochilidae Vigors, 1825 - Colibris, tesourões e afins
--SubFamília Phaethornithinae Jardine, 1833 - Rabos-brancos e afins
--SubFamília Trochilinae Vigors, 1825 - Beija-flores

Caprimulgiformes

Ordem Caprimulgiformes Ridgway, 1881 - Curiangos, Bacuraus e afins
-Família Caprimulgidae Vigors, 1825 - Bacuraus e afins
-Família Nyctibiidae Chenu & Des Murs, 1851 - Urutaus e afins
-Família Steatornithidae Bonaparte, 1842 - Guácharo

Cathartiformes

Ordem Cathartiformes Seebohm, 1890 - Urubus
-Família Cathartidae Lafresnaye, 1839 - Urubus

Charadriiformes

Ordem Charadriiformes Huxley, 1867 - Gaivotas, maçaricos e afins
-SubOrdem Charadrii Huxley, 1867
--Família Burhinidae Mathews, 1912 - Téu-téu-da-savana
--Família Charadriidae Leach, 1820 - Quero-quero e batuíras
--Família Chionidae Lesson, 1828 - Pomba-antártica
--Família Haematopodidae Bonaparte, 1838 - Piru-piru
--Família Recurvirostridae Bonaparte, 1831 - Pernilongos
-SubOrdem Lari Sharpe, 1891
--Família Laridae Rafinesque, 1815 - Gaivotas
--Família Rynchopidae Bonaparte, 1838 - Talha-mar
--Família Stercorariidae Gray, 1870 - Mandriões
--Família Sternidae Vigors, 1825 - Trinta-réis
-SubOrdem Scolopaci Steijneger, 1885
--Família Glareolidae Brehm, 1831 - Perdiz-do-mar
--Família Jacanidae Chenu & Des Murs, 1854 - Jaçanã
--Família Rostratulidae Mathews, 1914 - Narceja-de-bico-torto
--Família Scolopacidae Rafinesque, 1815 - Maçaricos e afins
--Família Thinocoridae Sundevall, 1836

Ciconiiformes

Ordem Ciconiiformes Bonaparte, 1854 - Cegonhas, garças e afins
-Família Ardeidae Leach, 1820 - Garças, socós e afins
-Família Ciconiidae Sundevall, 1836 - Tuiuiú e afins
-Família Threskiornithidae Poche, 1904 - Íbis

Columbiformes

Ordem Columbiformes Latham, 1790 - Pombas, rolas e dodôs
-Família Columbidae Leach, 1820 - Pombas e rolas

Coraciiformes

Ordem Coraciiformes Forbes, 1844 - Martins-pescadores e afins
-Família Alcedinidae Rafinesque, 1815 - Martins-pescadores
-Família Momotidae Gray, 1840 - Juruvas e udus

Cuculiformes

Ordem Cuculiformes Wagler, 1830 - Anus, almas-de-gato, sacis e afins
-Família Cuculidae Leach, 1820 - Anus, almas-de-gato, sacis e afins
--SubFamília Crotophaginae Swainson, 1837 - Anus
--SubFamília Cuculinae Leach, 1820 - Alma-de-gato, papa-lagartas e afins
--SubFamília Neomorphinae Shelley, 1891 - Jacus-estalo
--SubFamília Taperinae Verheyen, 1956 - Saci e afins

Falconiformes

Ordem Falconiformes Bonaparte, 1831 - Falcões, águias e gaviões
-Família Accipitridae Vigors, 1824 - Águias e gaviões
-Família Falconidae Leach, 1820 - Falcões e caracarás
-Família Pandionidae Bonaparte, 1854 - Águia-pescadora

Galbuliformes

Ordem Galbuliformes Fürbringer, 1888
-Família Bucconidae Horsfield, 1821 - Macucus, rapazinhos, chora-chuvas e afins
-Família Galbulidae Vigors, 1825 - Arirambas e afins

Galliformes

Ordem Galliformes Linnaeus, 1758 - Galos, faisões, perdizes e afins
-Família Cracidae Rafinesque, 1815 - Jacus, mutuns e afins
-Família Odontophoridae Gould, 1844 - Jacus, mutuns e afins

Gruiformes

Ordem Gruiformes Bonaparte, 1854 - Grous, saracuras e bicos-de-enxó
-Família Aramidae Bonaparte, 1852 - Carão
-Família Cariamidae Bonaparte, 1850 - Seriema
-Família Eurypygidae Selby, 1840 - pavãozinho-do-pará
-Família Heliornithidae Gray, 1840 - Picaparra
-Família Psophiidae Bonaparte, 1831 - carão
-Família Rallidae Rafinesque, 1815 - Galinhas-d’água e saracuras

Opisthocomiformes

Ordem Opisthocomiformes Sclater, 1880
-Família Opisthocomidae Swainson, 1837 - Cigana

Passeriformes

Ordem Passeriformes Linné, 1758 - Pássaros
-SubOrdem Passeri Linné, 1758
--Parvordem Corvida Sibley, Ahlquist & Monroe, 1988
---Família Corvidae Leach, 1820 - Gralhas
---Família Vireonidae Swainson, 1837 - Vite-vites, juruviaras e afins

Parvordem Passerida Linné, 1758
-Família Cardinalidae Ridgway, 1901 - Azulão, trinca-ferro-verdadeiro e afins
-Família Coerebidae d`Orbigny & Lafresnaye, 1838 - Cambacica
-Família Donacobiidae Aleixo & Pacheco, 2006 - Japacanim
-Família Emberizidae Vigors, 1825 - Canários, tico-ticos, caboclinhos e afins
-Família Estrildidae Bonaparte, 1850 - Bico-de-lacre
-Família Fringillidae Leach, 1820 - Pintassilgos, gaturamos e afins
-Família Hirundinidae Rafinesque, 1815 - Andorinhas
-Família Icteridae Vigors, 1825 - Guaxe, japus e afins
-Família Mimidae Bonaparte, 1853 - Sabiás e afins
-Família Motacillidae Horsfield, 1821 - Caminheiros
-Família Parulidae Wetmore, Friedmann, Lincoln, Miller, Peters, van Rossem, Van Tyne & Zimmer, 1947 - Pula-pulas, mariquitas e afins
-Família Passeridae Rafinesque, 1815 - Pardal
-Família Polioptilidae Baird, 1858 - Balança-rabos e afins
-Família Thraupidae Cabanis, 1847 - Saíras, saís, tiês, sanhaçus e afins
-Família Troglodytidae Swainson, 1831 - Garrinchas, uirapurus e afins
-Família Turdidae Rafinesque, 1815 - Sabiás
SubOrdem Tyranni Wetmore & Miller, 1926

Parvordem Furnariida Sibley, Ahlquist & Monroe, 1988
-Superfamília Furnarioidea Gray, 1840
--Família Dendrocolaptidae Gray, 1840 - Arapaçus
--Família Formicariidae Gray, 1840 - Tovacas e afins
--Família Furnariidae Gray, 1840 - Joões, limpa-folhas e afins
--Família Grallariidae Sclater & Salvin, 1873 - Torons, tovacuçus e afins
--Família Rhinocryptidae Wetmore, 1930 - Tapaculos e afins
--Família Scleruridae Swainson, 1827 - Vira-folhas e afins
--Família Melanopareiidae Irestedt, Fjeldså, Johansson & Ericson, 2002 - Tapaculo-de-colarinho
-Superfamília Thamnophiloidea Swainson, 1824
--Família Conopophagidae Sclater & Salvin, 1873 - Chupa-dentes
--Família Thamnophilidae Swainson, 1824 - Chocas, formigueiros, chororós e afins

Parvordem Tyrannida Wetmore & Miller, 1926
-Família Cotingidae Bonaparte, 1849
--SubFamília Cotinginae Bonaparte, 1849 - Arapongas, anambés e afins
--SubFamília Phytotominae Swainson, 1837 - Corta-ramos
--SubFamília Rupicolinae Bonaparte, 1853 - Surás e galo-da-serra
-Família Pipridae Rafinesque, 1815 - Uirapurus e afins
-Família Tityridae Gray, 1840 - Caneleiros, flautins, anambés e afins
-Família Tyrannidae Vigors, 1825
--SubFamília Elaeniinae Cabanis & Heine, 1856 - Piolhinhos, bico-chatos, guaracavas e afins
--SubFamília Fluvicolinae Swainson, 1832 - Lavadeiras, maria-pretas, noivinhas e afins
--SubFamília Pipromorphinae Bonaparte, 1853 - Marias, abre-asas, ferreirinhos e afins
--SubFamília Tyranninae Vigors, 1825 - Bem-te-vis, suiriris e afins

Pelecaniformes

Ordem Pelecaniformes Sharpe, 1891 - Pelicanos, biguás e atobás
-Família Anhingidae Reichenbach, 1849 - Biguatinga
-Família Fregatidae Degland & Gerbe, 1867 - Biguatinga
-Família Pelecanidae Rafinesque, 1815 - Pelicanos
-Família Phaethontidae Brandt, 1840 - Rabos de palha
-Família Phalacrocoracidae Reichenbach, 1849 - Biguá
-Família Sulidae Reichenbach, 1849 - Atobás

Phoenicopteriformes

Ordem Phoenicopteriformes Fürbringer, 1888 - Flamingos
-Família Phoenicopteridae Bonaparte, 1831 - Flamingos

Piciformes

Ordem Piciformes Meyer & Wolf, 1810 - Pica-paus, tucanos, arirambas e afins
-Família Capitonidae Bonaparte, 1838 - Capitões
-Família Picidae Leach, 1820 - Pica-paus
-Família Ramphastidae Vigors, 1825 - Tucanos e araçaris

Podicipediformes

Ordem Podicipediformes Fürbringer, 1888 - Mergulhões
-Família Podicipedidae Bonaparte, 1831 - Mergulhões

Procellariiformes

Ordem Procellariiformes Fürbringer, 1888 - Petréis e albatrozes
-Família Diomedeidae Gray, 1840 - Albatrozes
-Família Hydrobatidae Mathews, 1912 - Painhos
--SubFamília Hydrobatinae Mathews, 1912
--SubFamília Oceanitinae Forbes, 1882 - Painhos
-Família Pelecanoididae Gray, 1871
-Família Procellariidae Leach, 1820 - Petréis e pardelões

Psittaciformes

Ordem Psittaciformes Wagler, 1830 - Araras, papagaios e periquitos
-Família Psittacidae Rafinesque, 1815 - Araras, papagaios e periquitos

Sphenisciformes

Ordem Sphenisciformes Sharpe, 1891 - Pinguins
-Família Spheniscidae Bonaparte, 1831 - Pingüins

Strigiformes

Ordem Strigiformes Wagler, 1830 - Corujas
-Família Strigidae Leach, 1820 - Corujas
-Família Tytonidae Mathews, 1912 - Coruja-da-igreja

Struthioniformes

Ordem Struthioniformes Latham, 1790 - Avestruzes
-Família Rheidae Bonaparte, 1849 - Emas

Tinamiformes

Ordem Tinamiformes Huxley, 1872 - Macucos, inhambus, perdizes, codornas e afins
-Família Tinamidae Gray, 1840 - Inhambus, codornas e afins

Trogoniformes

Ordem Trogoniformes A. O. U., 1886 - Surucuás
-Família Trogonidae Lesson, 1828 - Surucuás

terça-feira, 8 de setembro de 2009

"Pia-cobra","Masked Yellowthroat" (Geothlypis aequinoctialis)

Pia-cobra Fêmea

Pia-cobra

Macho

Feriado, 7 de Setembro, acordei bem cedo e fui em busca de pássaros novos. Chegando perto do Faról (Trecho conhecido por pescadores de Rio Claro), resolvi entrar no sítio do famoso "Zé Wolf", que por sinal me atendeu muito bem, foram algumas horas de boa conversa... Percorri toda a mata ciliar em busca de pássaros, encontrei canários-da-mata, Alma-de-gato, Pitiguari, mas não consegui fotografá-los, pois estavam escondidos demais, apenas o canário-da-mata que ficou todo excitado com os chamados que eu reproduzi para atraí-lo, mas infelizmente não consegui fazer uma boa foto. Agora esse belo pássaro ficou pulando nos galhos baixos em busca de insetos, na verdade eram dois, um belo casal. Percebi que eles não ficaram com medo de mim, não sei se é pelo fato de não terem contato com humanos, pois o mato era bem fechado e de difícil acesso. A minha dificuldade em fotografá-los era pela maneira em que eles ficavam, sempre embrenhados por entre as folhas dos arbustos e a vegetação rasteira. Esse dia foi maravilhoso, ganhei o dia mesmo.


Fonte: Brasil 500 Pássaros
Comprimento: 13,5 cm; peso: 11 g. Presente no Brasil em duas regiões separadas: 1) tanto ao norte do Rio Amazonas, do Rio Negro para leste até o Amapá, quanto ao sul, do baixo Rio Madeira para leste até o Maranhão; 2) do sul do Piauí e Bahia para oeste até o Mato Grosso e em direção sul até o Rio Grande do Sul. Encontrado também da Costa Rica e Panamá à quase totalidade dos países da América do Sul, com exceção do Chile. É comum em brejos com arbustos, buritizais, na vegetação à beira de rios, florestas alagadas de galeria, em restingas secas e pastos. Vive escondido em moitas de vegetação, sendo observado apenas quando voa. Alimenta-se de insetos. Faz ninho em forma de tigela aberta, funda, bem trabalhada, em moitas de capim, sobretudo no brejo. Põe 2 ovos esbranquiçados com manchas violetas e vermelhas. O macho apresenta o alto da cabeça cinza com uma máscara preta à altura dos olhos; a fêmea não possui a máscara preta, apresentando os lados da cabeça oliváceos e o alto menos cinzento. Conhecido também como canário-sapé, canário-do-brejo, vira-folhas, caga-sebo, curió-do-brejo (Minas Gerais) e pia-cobra-do-sul.

video