quinta-feira, 30 de abril de 2009

"TUCANO-BOI", "TUCANOÇU", "Toco Toucan" (Ramphastos toco)

tucano Sem dúvida essa bela ave é uma das mais bonitas que fotografei, pois aqui na minha região é bem raro e quando vi um pela primeira vez, fiquei até emocionado.
Essa espécie é um dos símbolos brasileiros, encontrado em todo o Brasil, é a maior delas.
Das vezes em que pude observar, percebi que apesar do tamanho, eles possuem uma leveza espetacular devido a estrutura interna. Observei 12 deles no total, toda vez em 4. A primeira vez eles estavam no sítio dos "Pascon" na divisa de Rio Claro/Santa Gertrudes, mas não pude fotografar pela distância e o mal tempo. Já na segunda vez encontrei 4 deles em Águas de São Pedro, onde fiz as primeiras fotos, mas o tempo de chuva impossibilitou tirar boas fotos. A última vez em que os vi, estavam comendo frutos da Schefflera numa chácara perto de minha casa. O tempo não estava muito claro e o céu estava cinza, dificultando também uma boa fotografia, mas valeu à pena.
Fiquei um pouco preocupado, pois a falta de alimento nas matas é o principal motivo das vindas deles à cidade.
tucanoOs tucanos se alimentam de frutos, pequenos invertebrados e até mesmo saqueiam ninhos, comendo ovos e filhotes de pássaro. Os bem-te-vis voavam ferozmente atrás deles.

Eles fazem ninhos em ocos de árvores, onde também usam como dormitórios, os filhotes nascem sem penas e saem do ninhos após 45 dias com a coloração do bico amarelada. Vivem aos casais quando estão em fase de acasalamento e aos bandos depois das saidas dos filhotes dos ninhos.

Fotografados em Março de 2009.

tucano tucano tucano Adicionar imagemtucano

terça-feira, 28 de abril de 2009

"Bacurau-norte-americano","Common Nighthawk" (Chordeiles minor)

bacurau
bacurau2 Numa manhã de carnaval, estava eu e meu cunhado no carro rodando no centro de Águas de São Pedro, quando avistei esse "bacurau" dormindo em uma árvore, foi incrível, pois estávamos longe dele, mas a minha sede de ver um desses era tanta que toda a camuflagem dele não foi o suficiente. Geralmente são encontrados no chão e a noite, ficam quase imperceptíveis. Gostam de campos abertos, cerrados e estradas. Possuem um canto característico, dando origem ao nome popular. Botam um ovo no chão que se camufla entre as folhas. O filhote nasce com uma plumagem escura que muda com o tempo, também fica quase invisível. É fácil observar nas estradas quando se passa com o carro, pois os seus olhos brilham. De dia é mais difícil, eu tive a sorte de ver essa beleza natural que não estava no chão.
Esse canto é do Bacurau mais comum, pois não tenho o do bacurau-norte-americano, mas estou postando só para terem uma idéia dessa bela ave.

Águas de São Pedro, Fevereiro de 2009.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

"Sebinho", "Cambacica", "Bananaquit"(Coereba flaveola)

sebinhoUtilizei o meu celular para atrair esse sebinho que ficou muito curioso para ver de onde vinha o outro macho, aproximando-se uns 2 metros da câmera. Foi muito bonito a reação dele, pois era o líder daquele território e não queria perder a liderança nem para um gavião!


Fonte: Aves do Pantanal
Habitante da copa e borda das matas ciliares, cerradões, cambarazais e matas secas, o sebinho alimenta-se, basicamente, de néctar das flores, complementado com frutos e insetos. Ao contrário dos beija-flores, não fica voando em frente à flor. Pousado em um galho, enfia o bico na corola e suga o néctar. Nas flores com corola comprida, abre a base das mesmas com o bico e vai até a fonte de néctar. Com essa técnica não poliniza a flor, razão principal para a planta produzir o líquido açucarado e atrair polinizadores.Na busca por alimento, muitas vezes fica de cabeça para baixo em um galho, visando atingir a flor. Geralmente está no meio das folhas e movimenta-se pelo interior da copa. Entretanto, voa bem e atravessa áreas abertas entre matas ou para visitar uma árvore isolada e florida em um campo. Também visita arbustos isolados e próximos à mata.A principal característica é o bico relativamente longo e curvo, com a listra superciliar branca destacada contra o cinza escuro, quase negro, da cabeça. A garganta cinza clara é outra região logo notada, em especial pelo contraste com o amarelo vivo do restante das partes inferiores. Cauda curta em relação ao corpo. Em condições excepcionais de luz, é possível ver a pele avermelhada da base do bico (foto). Comum em todos os ambientes florestados, muitas vezes é de difícil observação pelo seu tamanho e hábito de ficar movimentando-se no meio da folhagem. O canto, por outro lado, é marcante e único. Um chiado alegre e longo, com variações no meio e bem chamativo. Canta o ano todo, com maior constância entre julho e novembro, período reprodutivo.Adapta-se facilmente a ambientes urbanos, sendo comum até em cidades do porte de São Paulo e Rio de Janeiro. Encontrado nas flores dos jardins do hotel em Porto Cercado, onde pode ser visto sendo perseguido por beija-flores, desejosos de afastá-lo da fonte de néctar. Também visita as garrafinhas com água açucarada colocada para beija-flores.

Fevereiro de 2009, Águas de São Pedro.

terça-feira, 14 de abril de 2009

"Maria-cocá" (BM), "Choca-barrada", "Barred Antshrike" (Thamnophilus doliatus)

choca barrada
choca barrada
choca-barrada
choca

Domina no macho a coloração negra, enquanto na fêmea ela é amarronzada. Entretanto, o macho é todo barrado (razão de um dos nomes comuns), exceto pelo negro uniforme do alto da cabeça, enquanto a fêmea possui somente os lados da cabeça estriados. Na ave adulta, o olho é branco com leve tom amarelado (marrom avermelhado nos juvenis). Também mantém as penas da cabeça eriçadas boa parte do tempo, em um topete muito destacado. Vivem em casais, às vezes com os filhotes da estação reprodutiva. Costumam freqüentar as capoeiras, bordas da mata ciliar, cerradões e matas secas, raramente entrando alguns metros na vegetação mais alta. Percorrem a parte central e alta dos arbustos, caçando invertebrados e mantendo contato com piados graves. Ocasionalmente, em bandos mistos. Cantam o ano inteiro, emitindo o chamado territorial com maior constância entre julho e dezembro. Grave como na choca, embora muito mais curto e terminando com uma nota alta. Na região da RPPN é traduzido como maria-cocá. Comportamento reprodutivo como na espécie anterior, construindo seus ninhos nas bordas da mata e nos arbustos. Ampla distribuição no Brasil (todo o Pantanal), com os contrastes de cores da plumagem e cor do olho variando de região a região.

Fonte: Aves do Pantanal.

Fêmea

Eu e meu cunhado usamos os nossos celulares (Telemóveis) para atraírmos à atenção do macho. Gravamos o canto e começamos a busca com um som em volume baixo para não assustá-los. Logo tivemos bons resultados. o meu cunhado ficou tão impressionado que começou a me chamar de "Thamnophilus cantante". Gostei muito de observar o territorialismo do macho, voando rápido para todo os cantos em rasantes de uma árvore para outra. O dois cantavam, o macho começava e a fêmea o acompanhava. Foi muito maravilhoso esses dias.

Macho (Dimorfismo sexual bastante presente)


Águas de São Pedro, Janeiro de 2009.

"Sanhaço-do-coqueiro", "Sanhaçu-do-coqueiro", "Palm Tanager" (Thraupis palmarum)

sanhaço-do-coqueiro Fonte: 500 Pássaros


Comprimento: 18 cm. Presente em todo o Brasil. Encontrado também de Honduras ao Panamá e em grande parte da América do Sul, incluindo todos os demais países amazônicos - Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia - e o Paraguai. É comum em bordas de florestas, clareiras arbustivas, capoeiras arbóreas, bosques, jardins, áreas povoadas ou regiões agrícolas, especialmente onde palmeiras sejam numerosas.
Vive em grupos de cerca de 6 indivíduos, tanto em áreas úmidas como secas. Alimenta-se de frutos e insetos. Apresenta preferência por palmeiras de várias espécies, alimentando-se de insetos na base de suas folhas, às vezes permanecendo pendurado de cabeça para baixo em suas pontas. Faz ninho em formato de tigela. Põe 2 ovos. Conhecido também como saí-açu-pardo (Pará).




Fotografado em Águas de São Pedro, Janeiro de 2009.


sanhaço-do-coqueiro

video

quinta-feira, 9 de abril de 2009

"Besourinho-de-bico-vermelho", "Esmeralda-de-bico-vermelho" " Glittering-bellied Emerald" (Chlorostilbon lucidus)

Esmeralda-de-bico-vermelho Eu realmente aprendi a sentir um pouco o que o grande MESTRE "Augusto Ruschi" sentia quando observava esses verdadeiros tesouros relâmpagos que a mãe natureza nos presenteia.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

MORFOLOGIA DAS AVES


video


TODOS OS CRÉDITOS AOS AUTORES.


*SAIBA MAIS SOBRE AS AVES!


http://pt.wikipedia.org/wiki/Aves





video

video

video

TODOS OS CRÉDITOS AOS AUTORES.

Eu particularmente prefiro estudar os comportamentos das aves, além da fotografia, observo a maneira em que elas vivem em seu meio natural, suas adaptações através dos tempos e o as mudanças necessárias para a sobrevivência com os humanos. Coloquei esses vídeos não apenas para ilustrar o blog, mas com um propósito científico. Pretendo contribuir as minhas vivências nesse mundo maravilhoso e cheio de mistérios, procurando então postar informações de uma maneira mais abrangente para que o estudante ou até mesmo um simples curioso possa ter acesso com mais facilidade aos materiais e pesquisas científicas que acredito ser muito importante para um bom desenvolvimento ornitológico e intelectual.

terça-feira, 7 de abril de 2009

"Gaturamo Verdadeiro", "Violaceous Euphonia"(Euphonia violacea)

gaturamo gaturamo verdadeiro
gaturamo Essa espécie é muito parecida com o "vi-vi" (Euphonia chlorotica) e ainda mais com o "gaturamo-de-bico-grosso"(Euphonia laniirostris), muitas vezes são confudidos, principalmente quando observados solitários e sem como comparar. Têm os hábitos parecidos, alimentam-se frutos, insetos e vivem aos casais ou às vezes em pequenos bandos. O macho tem a testa amarela e a parte trazeira é preta brilhante azulada quando exposto à luz solar. O amarelo nas partes inferiores chega até a base do bico, ao contrário do vi-vi. O canto é diferente, pois ele imita algumas espécies de pássaros. Presente nas regiões centro-oeste, sudeste e na Amazônia oriental. Habita zonas de florestas virgens, bordas de florestas, plantações de cacau e citrino. No meio urbano, pode ser encontrado em pomares e jardins. São sociáveis e podem ser atraídos com frutas em comedouros. As fêmeas são amareladas com um tom oliváceo. No período reprodutivo a fêmea bota em média 4 ovos brancos com pintas vermelhas e chocam sozinhas.
gaturamo femea


Fotografados em Águas de São Pedro, Carnaval de 2009.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Tuim - Blue-winged Parrotlet (Forpus xanthopterygius)

Tuim  - Blue-winged Parrotlet
 (Forpus xanthopterygius)

tuim
Essa é a menor ave da família dos periquitos e papagaios no Brasil. Voam aos bandos, aos casais e quando pousam sobre as copas das árvores, ficam praticamente invisíveis nas folhagens. O macho possui uma plumagem diferente da fêmea. Com partes azuis nas asas e pelo corpo, o verde mais escuro nas costas e um verde vivo na frente. O chamado é mais baixo, agudo e curto que os outros periquitos. Se alimentam de frutos, sementes... Vivem nas bordas de florestas, chapadões e também aparecem no meio urbano, principalmente se a região possuir muita plantação de cana. Fazem ninhos em ocos das árvores e também casas de João-de-barro abandonadas. Essa foto foi feita em Águas de São Pedro em Janeiro de 2009.


ELES SABEM O QUE É AMAR DE VERDADE E VIVEM UNIDOS PELO RESTO DA VIDA!