quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

"QUERO-QUEROS" - O CICLO NÃO TERMINADO!

casalQuero-queroQuero-queroQuero-queroQuero-queroquero-queroQuero-quero Quero-queroQuero-queroQuero-queroQuero-queroQuero-quero

video

O que me deixa muito triste é presenciar um ciclo inacabo.


No início de Novembro, encontrei um casal de Quero-queros em pleno ritual de acasalamento, procurei então registrar esse ciclo maravilhoso da vida.


  • O encontro... No primeiro encontro a agressividade do casal era imensa, eles estavam preparando o ninho e não quiseram conversa comigo. Avançaram sobre a minha cabeça sem piedade, apresentavam suas esporas abaixando as asas que relavam no chão, na verdade as esporas eram inofensivas, mas assusta a quem não conhece. Achei fantástico e procurei ficar pouco tempo para não atrapalhar o momento tão sagrado deles.
  • A aproximação... Uns dias após o meu primeiro encontro o ninho estava formado e com 3 ovos. No entanto, o meu receio era o local onde eles fizeram o ninho, em ruínas de uma chácara demolida e muitos pedreiros estavam trabalhando no local, derrubando tudo, caminhões entrando e saindo a toda hora. Então conversei com os trabalhadores, expliquei a situação e alguns até me ajudaram cercando o ninho com pedras e paus, para que nenhum caminhão ou pessoa passasse por cima, pois os Quero-queros fazem ninhos no chão, ficando muito vulnerável.

Logo, o meu diálogo com as aves foi ficando amigável, elas já estavam acostumadas comigo e não se importavam com a minha presença, digo, não me atacavam mais e nem berravam tanto.

  • A técnica de disfarce... No vídeo eu mostro uma técnica usada pelos Quero-queros para atrair os predadores para o lado oposto do ninho. Eles abaixam como se estivessem no ninho enganando o possível predador que caminha até eles se distanciando do ninho. Muitas vezes até fingem machucados. Ela já estava mais acostumada, então até comia uns bichinhos perto de mim.
  • A desconfiança... Eu armei a câmera em um tripé e fiquei filmando para ver se a mamãe entrava no ninho, mas a desconfiança dela era tanta que ela apenas olhava para os ovos, caminha levantando e abaixando rapidamente a cabeça, parecendo dizer: - O que será isso? O que ele tá querendo com esse troço esquisito na minha frente?
  • O tesouro escondido... 27 dias após o meu primeiro contato com as aves, nasceram os 3 lindos tesouros que logo caminhavam pelo terreno, até que um dia um caminhão passou por cima de um. O segundo foi atacado por um gavião dias depois. Restou um filhote apenas, então fotografei-o e observei por uns dias o seu crescimento, o amor e proteção que os seus pais lhe davam.
  • Um instinto natural... O filhote que sobrou era muito vulnerável, mas já nasceu com o instinto natural maravilhoso. Ele abaixava em um local e ficava estático, quase imperceptível. O único problema é que se você não conhecer direito esses hábitos, pode pisar em cima de um.

Depois de todo o meu esforço para manter as pessoas afastadas deles, conversando também com as crianças do bairro, infelizmente o último filhote também desapareceu, agora não sei o que aconteceu, disseram que um garoto o matou, mas acredito que não. Logo depois os pais também foram embora. Um ciclo não terminado, infelizmente.

Rio Claro, Novembro/Dezembro de 2009.