segunda-feira, 9 de março de 2009

"Gavião-sauveiro", "Sovi", "Plumbeous Kite" (Ictinia plumbea)

sovi
sovi

sovi






Quando consigo capturar um pássaro ou algo na natureza que como magia aparece diante das minhas lentes, uma energia direta desses seres divinos parece conectar em mim, me fazendo sentir esse "cordão umbilical" que me liga à todos eles... É pena que muitos preferem cortar esse cordão.


-------------------------------------------------------------------------------------------------


Fonte: Aves do Pantanal.


Seu corpo é cinza escuro, claro no alto da cabeça. Asas longas e negras, aumentando o contraste das características penas de vôo avermelhadas. Essa cor é evidente, tanto em uma ave pousada como passando sobre a cabeça, separando-a dos outros gaviões. A cauda é negra, mas possui duas ou três barras brancas em sua face inferior.Insetívoro quase exclusivo, costuma caçar voando sobre a vegetação da mata. Captura suas presas em vôo, usando os pequenos pés amarelos ou avermelhados, comendo-as no ar. Nessas ocasiões, fica virado contra o vento e meio corcunda, vai retirando pedaços, com o bico, do inseto pego nos pés. Nas revoadas de saúvas, come os adultos reprodutores desses insetos no vôo nupcial de dispersão dos formigueiros, razão de seu nome comum.É migratório no Pantanal, sul e sudeste do Brasil, com uma população residente na Amazônia, por onde passam os migrantes em seu movimento para o norte, em abril, ou no seu retorno, em agosto. Reproduz-se no Pantanal, no sul/ sudeste e na Amazônia. É muito agressivo e territorial contra outros gaviões-sauveiros ou outras espécie de gaviões passando próximo ao ninho. Nesse período, emite com freqüência um assobio fino e curto, um som parecendo vir de um passarinho e não de um gavião.


Fotografado em vôo em Águas de São Pedro, Natal de 2008 e em Rio Claro na Unesp em outubro de 2009.