quinta-feira, 26 de março de 2009

"Arapaçu-do-cerrado", "Cata-barata", "Narrow-billed Woodcreeper" (Lepidocolaptes angustirostris)

arapaçu-do-cerrado
arapaçu-do-cerrado Quando vi esse pássaro pela primeira vez, fiquei apavorado para tirar fotos, mas estava tarde e com um tempo chuvoso. Ele caminha pelos troncos sempre na vertical como um pica-pau e nunca ficava parado. Quando eu apontava a câmera ele virava para o lado do meu cunhado e foi assim até que consegui fazer duas fotos que não ficaram com uma qualidade boa, mas registramos. Descobri depois de muito tempo um buraco em um pilar de tijolos onde a fêmea entrava e saia várias vezes, pois estava construindo um ninho. Fiquei distante observando por alguns dias, mas acredito que eles abandonaram o ninho, pois não retornavam mais.

------------------------------------------------------------------------------------------------


Fonte: Aves do Pantanal.

Os arapaçus possuem o mesmo hábito de subir nos troncos e galhos na vertical ou sua superfície inferior, como os pica-paus. Agarram-se com as unhas fortes e apoiam-se também na ponta dura das penas da cauda. Andam para cima e para baixo dos troncos com facilidade, em movimentos rápidos de corpo. São três dedos para a frente e um para trás, ao contrário dos dois para a frente e dois para trás dos pica-paus. Aparece nas árvores dos jardins. Ao contrário dos outros arapaçus da reserva, há um forte contraste entre as costas marrom vermelhadas e o branco da barriga, peito e pescoço. Outra característica marcante é a listra branca sobre o olho, ressaltada pelo cinza escuro do alto da cabeça (foto). O bico é levemente curvo. Em áreas recém-queimadas, o branco das partes baixas fica sujo de fuligem, dando um tom cinza escuro ou negro devido ao arrasto dessas partes contra o tronco.Como nos outros arapaçus, ocupa ninhos abandonados de pica-paus para reproduzir. No entanto, levam gravetos e palhas para dentro, montando um ninho no fundo do oco. Apanham insetos sobre os galhos e troncos, às vezes arrancando pequenas lascas para chegar aos insetos, mas não batem o bico no tronco como um pica-pau.O chamado é bastante característico, como uma risada longa. Inicia por um assobio forte e alto. Canta o ano inteiro, mais ao clarear e entardecer. No período reprodutivo faz chamados mais constantes ao longo do dia.

Fotografado em Janeiro de 2009. Águas de São Pedro.