terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

"Pardal", "House Sparrow"(Passer domesticus)


Apesar de ser um pássaro europeu, é um dos mais conhecidos em todo o Brasil. Trazidos no início do século XX no intuito de diminuir o número de mosquitos no Rio de Janeiro, não tendo muito êxito porque a principal base alimentar do pardais são o grãos. A espécie proliferou tanto que hoje é comum ver em qualquer parte das cidades, pardais fazendo ninhos em forros de casas, igrejas e escolas. Vivem em todo o Brasil tanto na área urbana, como em campos de plantações de grãos, fazendas e sítios. Se alimentam de grãos, insetos, migalhas de pão, rações de animais como as de gatos e cachorros, restos de comidas e até mesmo frutas como as bananas colocadas em comedouros de pássaros. Criam quase o ano todo e em algumas regiões o ano todo. Fazem verdadeiras comunidades juntando ninhos de capim seco, linhas, algodões, trapos de panos e até mesmo tiras de plásticos das rabiolas dos pipas. O casal participa das construções dos ninhos e cuidam dos filhotes. Fazem cantorias pela manhã incomodando muitas pessoas que acabam matando-os por mera diversão. Belos e inteligentes, percebem qualquer movimento se aproximando e fogem rapidamente, muitas vezes escapando até de gatos. Usam os ninhos para reprodução e também como dormitórios. O macho é pardo, com listas marrons nas laterais das asas e na cabeça que é quase toda preta, a garganta é preta e o ventre é um pardo mais claro com as costas escuras. A fêmea é parda com listas mais claras em cima dos olhos e a costa escura parecendo muito com a coloração dos filhotes. Os filhotes são pardos com uma pele branca amarelada no canto do bico, perdendo essa característica com o tempo. Os machos possuem os bicos mais escuros. Vivem aos bandos que aumentam no período reprodutivo. O macho canta atraindo a fêmea que apenas emite chamados e quando acasalam produzem outros chamados característicos da espécie. É muito fácil perceber, sem mesmo vê-los quando estão acasalando.
A primeira foto foi tirada de um macho adulto em fase de troca de penas em Águas de São Pedro em Janeiro de 2009 e a segunda foto é de uma fêmea capturando siriris para alimentar os filhotes no fundo do quintal da minha casa em Novembro de 2008.
Ouça aqui os diversos chamados dos pardais, são muitas variações, entre elas, machos adultos, fêmeas, filhotes, bandos... Todas as gravações foram feitas em meio urbano, por isso outros sons estão presentes.