quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

"Garça-branca-grande", "Great Egret" (Ardea alba--Casmerodius albus)

garça-branca-grande Fonte: Aves do Pantanal
Uma das garças mais freqüentes no Pantanal, muitas vezes concentra-se em baías ou corixos secando, chegando a formar ajuntamentos de pesca com algumas centenas de garças. Sua coloração branca, imaculada, contrasta com as patas e pés totalmente negros e bico amarelo puro. Na época de reprodução, desenvolve penas especiais no dorso, chamadas de egretes ou egretas. Essas penas são finas estruturas, destacadas contra o restante da plumagem, dando um aspecto “despenteado” para essa região do corpo. São usadas nos rituais de demarcação de território do ninho na colônia reprodutiva e para fazer a corte. Nidificam no ninhal da Moranguinha na região da reserva, começando sua reprodução em junho e terminando no final de setembro. Os ninhos localizam-se tanto na parte superior quanto inferior das árvores, formados por plataformas de gravetos e galhos secos e recobertos por capins internamente (como no caso das outras aves de reprodução colonial). Fazem a postura de 4 ovos de cor esverdeada ou verde azulada, os quais são chocados pelos dois pais durante 25 dias. Os filhotes são alimentados igualmente pelos pais e ao deixar a colônia são muito semelhantes aos adultos.Ocorre em toda a reserva, igualmente caçando peixes, anfíbios e insetos nas margens de rios, baías e lagoas. Como o baguari, pode ser visto no meio da vegetação da margem do rio, esperando pacientemente por sua presa. Seus números reduzem-se no Pantanal após o período reprodutivo, podendo significar uma movimentação para fora da planície ou sua dispersão em uma superfície maior da planície durante as cheias.


garça-branca-grande


garça-branca O GRANDE NINHAL
ninhal
Fotos tiradas no Pantanal de ÁGUAS DE SÃO PEDRO, NATAL DE 2008. O que eu posso dizer o que senti nesse dia observando o verde sendo pintado de branco, foi PAZ.