quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

"Pomba-de-bando"( Zenaida auriculata)

Pomba-de-bandoQuem conhece pouco sobre pássaros, geralmente me pergunta:
- Nossa! Um casal de pombinhas e um filhote!
Pensam que o maior é o macho, a outra menor é a fêmea e o pequeno é o filhote, mas na verdade é a fêmea e dois filhotes.
O filhote maior é um macho que nasceu primeiro, come muito mais e cresce mais rápido.
Geralmente as Pombas-de-bando fazem um ninho simples em árvores, ranchos embaixo de coberturas, janelas de prédios nos primeiros andares, botam dois ovos brancos, onde o primeiro filhote cresce mais e muitas vezes joga até o outro filhote para fora do ninho em disputa por espaço e comida, além do vento. Pelo que observei, os maiores são sempre machos, mas acredito não ser sempre nessa ordem.
No meio natural, vivem em capoeiras comendo sementes de mato em chão quente, bordas de florestas, cerrados, mas é muito comum vê-las no meio urbano como praças, em frente de agropecuárias, nos quintais, ruas... Se alimentam de sementes, quirera, migalhas de pão, farelos.
Vivem geralmente aos casais ou em bandos, fazem revoadas quando ameaçadas e muitas vezes correm pelo chão em silêncio quando estão em capoeiras.
Com o dorso pardo, cabeça com duas faixas negras laterais, e manchas negras nas asas. Em certos períodos representa uma importante fonte de alimentação para populações locais da região Nordeste do Brasil. Além do tamanho, outra característica capaz de identificá-la são as duas listras negras e pequenas atrás dos olhos, formando como se fossem orelhas (origem do nome latino auriculata = com orelhas). Os olhos são envoltos por uma pele azulada. Nas asas, as bolas negras também são marcantes. Voa muito rápido, com modificações de altura e em ziguezagues, diferente das demais pombas. Essa espécie de pomba chega a medir até 25 cm de comprimento. De tamanho intermediário entre uma rolinha e um pombo, só pode ser confundida com as juritis ( gênero Leptotila ), mas ao contrario destas não ocorre em florestas e bosques, sendo estritamente campestre.
Por muito tempo foram caçadas pelo homem, pois eram servidas em canjas, assadas ou fritas, mas como se adaptaram à vida urbana, estavam sujeitas à doenças e então deixaram de serem servidas como alimentos, exceto nos sertões em áreas mais pobres.
Também é conhecida pelos nomes de arribaçã, arribação, bairari, cardigueira, cardinheira, guaçuroba-pequena, juriti-carregadeira, pairari, pararé, parari, pomba-amargosinha, pomba-de-arribação, pomba-de-bando, pomba-do-meio, pomba-do-sertão, pomba-parari, pomba-pararu, rabaçã, rabação, rebaçã, ribaçã e ribação, rolinha.

Referências: Aves do Pantanal e WikiAves

Eu fotografei esses três nas estruturas do "Supermercado Compre Bem" em Rio Claro em Junho de 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário