sábado, 24 de janeiro de 2009

"Anu-branco", "Guira Cuckoo", (Guira guira)

Como o anu, outra espécie que aproveitou as alterações humanas dos ambientes florestais para se expandir. Também é encontrado no interior das cidades, caçando insetos, aranhas e pequenos vertebrados nos gramados e áreas abertas. No Pantanal, ocorre em todos os ambientes abertos, embora seja menos encontrado nas margens dos rios e alagados do que o anu.
Sociável, forma grupos de até 20 aves, as quais afastam os outros anus-brancos de seu território. Possui um chamado territorial longo, melodioso, em que os pios vão sendo dado em intervalos cada vez menores e ficam mais curtos. Esse chamado é tanto dado em vôo, como pousado. O repertório de gritos de contato e alarme é vasto. Como no anu, enquanto o grupo se alimenta no chão, algumas aves ficam em pontos mais altos, de sentinela. Caçam insetos e pequenos vertebrados, saqueando ninhos de outras aves. O alarme típico é um matraquear rápido, com todo o bando levantando vôo imediatamente.
A longa cauda vai para a cima e para frente, quando pousa em um galho, desequilibrando a ave. Voa com batidas rápidas e planeios entremeados, atravessando áreas abertas ou rios.
O branco domina a plumagem, mas não é a única cor. A cabeça e parte das costas são alaranjadas, com finas riscas negras, especialmente no peito. Asas escuras, bem como cauda negra com bolas brancas na ponta de cada pena. As penas da cabeça ficam sempre eriçadas, dando um aspecto despenteado à ave. O bico é longo e fino, amarelo ou alaranjado, sem as cristas dos outros anus. Nas manhãs frias do meio do ano, costumam ficar pousados em um galho, de costas para o sol nascente, entreabrindo as asas e eriçando as penas brancas do centro das costas. O bando pousa lado a lado no mesmo galho e toma longos banhos de sol.
As estratégias de reprodução são variadas, com casais abandonando provisoriamente o grupo para construir ninhos e chocar, ou somente um casal colocando os ovos e o grupo chocando, bem como várias fêmeas colocando os ovos no mesmo ninho. Ocasionalmente, ovos são postos em ninhos do anu, um comportamento de parasitismo reprodutivo.
FONTE: www.avesdopantanal.com.br

Foto tirada próximo a Ajapi, ele estava em um monte de esterco bovino comendo pequenos vermes. Maio de 2008.